. .
Lagoa Genipabu
Imagem

Iniciada a festa do padroeiro de Extremoz

Publicado em 22.09

Com o tema “São Miguel, fazei de nossas famílias discípulas e missionárias”, a Paróquia de Extremoz comemora o seu padroeiro, com festa iniciada no último sábado, 18, e que vai até o dia 29, data do padroeiro, o Arcanjo Miguel, cujo nome significa "o que é um com Deus". Miguel é considerado o chefe dos exércitos celestiais e o padroeiro da Igreja Católica Universal. É o anjo do arrependimento e da justiça.
 
A Igreja preparou uma programação diversificada, com missas diárias a partir das 19h30 na Paróquia São Miguel Arcanjo, centro de Extremoz, voltada para as comunidades. A abertura foi feita com uma alvorada e carreata. Depois, os casamentos comunitários, procissão e a apresentação do espetáculo teatral, Auto da aldeia do Guajirú ou a batalha de São Miguel.
 
Todos os dias a população conta com programações socioculturais, entre elas chorinho e samba, cristoteca, grupo de dança Corpos Brincantes, violeiros, pastoril, Banda Leão de Judá, jantar, banda de forró, Galileu, Boi de reis, leilão e o segundo ano do Auto de São Miguel. A festa conta também com um parque de diversões e barracas com comidas típicas.
 
Auto de São Miguel
 
Pelo segundo ano o encerramento da festa do padroeiro contará com o espetáculo teatral Auto de São Miguel, com a participação de 120 atores, a maioria do próprio município. O espetáculo, que será realizado nas ruínas da antiga igreja católica de Extremoz, será promovido pela Prefeitura de Extremoz, por meio da Fundação Aldeia de Guajirú e em parceria com a igreja católica.
 
Ruínas


As ruínas da antiga Vila, Capela de São Miguel e Convento de Extremoz  foi tombado em 18 de Dezembro de 1990. A Matriz de São Miguel foi considerada por Câmara Cascudo como a mais bela igreja colonial do Estado. Erguida no estilo barroco, tem 16 metros de altura, 13,5 metros de largura, 30 metros de comprimento e paredes com 80 centímetro de largura. Servia de igreja e residência dos jesuítas. Foi nessa igreja que o índio Poti, Antônio Felipe Camarão, foi batizado na manhã de 13 de Junho de 1612. Aos 30 anos recebeu os nomes de Antônio em homenagem ao santo do dia, Felipe em homenagem ao rei Felipe da Espanha e "Camarão" a tradução de seu nome (Poti). Mais tarde casou-se, na mesma igreja, com Clara, índia de nação potiguar.
 
Programação
 
22/09 (quarta-feira):
19h30 - Missa com padre Edilson do Nascimento, em seguida pastoril da terceira idade.
23/09 (quinta-feira)
09h30 - Missa com padre Felipe; depois Banda Leão de Judá
24/09 (sexta-feira)
19h30 - Missa com padre Inácio Henrique e Jantar com Ivanildo de Natal;
 25/09 (Sábado)
19h30 - Missa com Padre João Pedro; Banda Forró (festa social);
26/09 (domingo)
19h30 - Confissões e missa com Padre João Pedro; Galileu, Boi de eis, leio e Trio Guajirú
27/09 (segunda-feira)
19h30 - Missa com padre Humberto Negreiro; show de louvor com padre Humberto
28/09 (terça-feira)
19h30 - Missa com padre Francisco das Chagas; Violão Sobressalto e dança de capoeira;
29/09 (quarta-feira)
16h - Missa seguida de procissão com o arcebispo Dom Matias; arreamento
20h - Auto de São Miguel
 
 
Com reportagem de Gilmara Costa
Fotos: Canindé Santos



Voltar